domingo, 8 de julho de 2007

Um barco e o que ele representa...

Para onde seguia aquele barco, que eu vi tão rápido?



Corria por entre a solidão liquifeita em um mar que veio daquela chuva de agora pouco.



Segundos que flutei junto, rumo aonde tudo me levar, e que seja. Que seja a sorte neste navio sem vela, guiado pela vontade pura de criança pequena, e pela fé de que a chuva sempre vem para desfiar a secura desses tempos de hoje.



E tem seu lado bom, poder montar-se em aventura de uma embarcação sem nome nem destino. Mesmo que para isso é bom que não se tenha ninguém, porque não há porto de onde se possa balançar lenço qualquer. Se em noites de sereno se sente falta, em tédios de vida agente agradece por se ser só.


-----------


"Um barão, de olhos enxarcados,
de conselhos de ouro e voz de avô.
Um Velho sábio da vida, quieto e observador,
daqueles que gostam do café bem forte
que é para lembrar do gosto que a vida tem
daqueles que acordam bem cedo
para se viver enquanto há sol, e só."


-------------

"Esses finais de semana fazem-me crer que o mundo não acaba é por preguiça..."


-------------

'... tentar prever serviu para me enganar...'

(quatro, barbudos, em recesso)

3 comentários:

Sara S2 disse...

Às vezes penso em voltar Alan. Mas logo depois acho que minhas idéias são estúpidas e estão velhas demais, algo do tipo... é uma crise estranha. Além do mais, se eu continuar a digitar textos com erros ridículos de gramáticas eu paro rs. Sou tão desatenta, não, acho que o melhor seria ignorante, ou... semi analfabeta? Penso em deixar meus textinhos guardado apenas em um caderno velho. Eu voltarei para ler blogs, sem dúvida. Adoro ler a arte que certas pessoas sabem fazer com as palavras, e isso me deixa feliz, me tira do poço, me deixa com inspiração. Sabe que quando estou triste sempre leio Clarice? Ela é tão perfeita, não?
É talvez eu volte... ao mundo.Obrigada por escrever =*

Sara S2 disse...

gramática*

lucas disse...

férias
dá mó preguiça de atualizar blog né mano