quinta-feira, 5 de julho de 2007

A vida do Luís, sem o Luís...

E ele veio, feito apenas de alegria, com o anel que conseguiu comprar. Não era aquele anel, mas era um símbolo, e era isso que eles queriam.

Ela estava sentada, lendo.

Antes, ele para e olha, de longe. Tava sentindo a magia do momento, que era muito maior do que o maior dos prédios que ele já tinha visto.

A vida mudaria. Era o anel, e aí, quem sabe? Felicidade, provavelmente. O coração era que parecia carnaval. As pernas entravam na festa, e dançavam sem sair do lugar.

Agora, que tinha o anel, sentia a emoção, só faltava uma coisa;

Só faltava conhecer aquela mulher que o encantava, que vivia em sua vida sem saber. Era só isso.

Ela fecha o livro. Talvez tenha terminado mais um capítulo. Quanto tempo até Luís conseguir se aproximar dela? Mais vinte ou trinta páginas? Mais um livro inteiro? O problema é que sempre pode ser a última oportunidade, e aí? Acredite Luís, talvez ela nunca mais volte, e este anel será um troféu, guardado na gaveta, para que lembre que a sua vida pode muito bem acontecer sem você. Pode muito bem.

2 comentários:

Luciano disse...

Adorei seu blog. Se puder, dê uma passadinha no meu. E se gostar, nunca deixe de visitá-lo tá?
Atualizei meus textos.. Incertos textos..
Abraços

LUCIANO

PAPIROS DE ALEXANDRIA
http://papiros.zip.net

Ana disse...

Meu deus, tem hora que parece que a literatura do outro fala melhor com nós do que as nossas próprias.
Gostei muito daqui ;))
Tô te linkando. Agradeço por já ser sua amiga! Beijo