quinta-feira, 28 de junho de 2007

Seria triste...

Descobrindo, o que há atrás da chuva.

Eu pego um trem que vai daqui até a porta da sua casa, sem curvas.

Três toques na porta, como sempre, sempre.

Eu trouxe numa sacola um doce, uma flor e aquela praia deserta em que fomos uma vez.

Mas quem me atende, eu não conhecia.

Só aí lembrei, que você tinha mudado de endereço;

Decidiu ir aconselhar os pequenos anjos,

Injustiça, seus conselhos eram tudo o que eu precisava, para poder ir dormir agora.


------

Você sempre teve visão boa. Sempre via a montanha primeiro que eu. Mesmo quando eu que sentava no banco da frente. Agora, eu forço, forço os olhos, deixo eles bem pequeninhos, mas nem há mais montanha nenhuma. Você, você levou contigo?

------

Tem quatro chinelos. Dois deles talvez nunca mais sairão do lugar.

------

Todo o sentimento do mundo não cabe aqui em casa. Nem todo o meu sentimento cabe. Por isso, meus queridos, as janelas sempre abertas, por isso!

3 comentários:

Sara S2 disse...

Adorei teu blog!
voltarei sempre!
lindo texto, me despertou sentimentos...rs
bjo

lucas l disse...

por isso, PORTAS ABERTAS!
www.portasabertas.org

lucas l disse...

...
.br