quarta-feira, 22 de agosto de 2007

"O poeta e a poesia"

Luís é poeta. Luís é poesia.

Luís ama muito Ana flor, uma menina linda, e que também é poesia. Ele tem tido muitos sonhos com Ana flor, muitos, e em todos eles, eles ficam juntos, e na maioria, eles seriam felizes.

Luís nunca falou com Ana flor.

Com tantos sonhos, Luís escreve. Passa através de palavras, para o papel, toda aquela realidade de seda, que é jóia para Luís, jóia rara.

As suas poesias são lindas; É mar tranqüilo em dia de primavera, é céu quase todo aberto, e as nuvens que ficaram tomaram uma cor roxo-eternidade maravilhosa. É música que toca enquanto andamos pela cidade quieta, ainda cheirando a manhãzinha.

Luís convive com as palavras. Por isso, Luís é um bom poeta.

Acontece que assim não é com as pessoas; Ele não sabe ter amigos. Luís não convive com pessoas, embora sinta prazer em vê-las. Escreve poesias, sente a vida passar, ama muito; Mas como conhecer Ana flor? Luís queria muito que com suas palavras pudesse construir uma pessoa igualzinha a Ana flor. Já tentou, mas ele não consegue.

Todo poeta sabe que a poesia é eterna. Alguns acham que a vida é. Luís achava, e se enganou.

A vida passou muito para Ana flor, e ela teve que se mudar, para poder se cuidar. Luís só soube tempo depois que ela havia ido embora, e com ela, toda a sua chance de conhece-la.

É Luís, se a vida fosse uma de tuas poesias, poderias escrever um outro final, onde teriam uma casa na praia, e que a janela do quarto todo dia chateasse batento ao vento de tardezinha. A arte, que é tentativa de vida, ainda não alcançou a perfeição, e é por isso que são tão diferentes, enquanto completamente iguais.

O Amor é poeta, mas nem sempre, amar é poesia.

As vezes, é preciso ser mais vida, ser mais rude, ser mais real, para que a felicidade de se amar toque em tua campanhia.

Mas ainda assim, Luís fez sua escolha.

Luís é poeta. Luís é poesia.

3 comentários:

.ponto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
.ponto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Víctor Negri disse...

Grande Alan.
Como você tá cara?!
Lembro de um dia conversando em um dia na frente do cursinho você me dizendo que escrevia. É não é que escreve mesmo e bem pra caramba?!
Parabéns aê.
Espero que aí em São Paulo tudo esteja bem e que esteja curtindo a faculdade.
Qualquer dia nos trombamos para trocar umas idéias...
Um dia publico meus textos também.

Obs: Seria vc o luis? hehe
Abraço cara.